linha

MAPs

Mapeamento por imagens de satélites

O mapeamento do uso e cobertura da terra por meio de imagens de satélites serve às mais diversas aplicações relacionadas ao meio ambiente e ao agronegócio. Os satélites, porém, não mostram tudo. Por isso, as imagens feitas do alto são complementadas com dados auxiliares e de campo. A Agrosatélite usa então ferramentas tecnológicas para processar e extrair informações precisas e confiáveis. A linha MapS atende tanto demandas de escala local, cobrindo períodos específicos, quanto análises históricas compreendendo biomas inteiros, países ou grandes regiões.

O que o MapS proporciona

  • Conhecimento abrangente e detalhado dos territórios de interesse para os clientes.
  • Racionalização do uso dos recursos, ampliando a capacidade de planejamento e a oportunidade para adotar estratégias de produção eficazes e sustentáveis.
  • Acompanhamento e compreensão dos movimentos das fronteiras agrícolas, dos processos de intensificação do uso da terra e dos impactos ambientais causados pelo desmatamento, bem como as decorrentes emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE).

Clientes em potencial

Entidades setoriais de produtores e indústrias, fundações, ONGs, governos, traders de grãos e frigoríficos.

O que é oferecido

A linha MapS da Agrosatélite pode mapear os seguintes aspectos relacionados ao meio ambiente e às atividades agrícolas.

Mudança de Uso da Terra

Permite demonstrar, em diferentes contextos, a dinâmica de expansão e de intensificação da agropecuária brasileira — apresentando, também, seus impactos ao meio ambiente e à produção. A análise da mudança de uso e cobertura da terra sempre foi uma das especialidades da Agrosatélite, uma referência na área. A empresa detém uma base técnico-científica reconhecida e possui capacidade de selecionar imagens de satélite tomadas nos momentos mais importantes para esse tipo de avaliação, além do conhecimento aprofundado da dinâmica do território. Entendemos o passado e projetamos o futuro, provendo soluções de inteligência geográfica.

Marcos Regulatórios

Consiste na análise da adequação de cadeias produtivas, regiões ou clientes a determinados marcos regulatórios. O mapeamento pode mostrar, por exemplo, a conformidade ao Código Florestal Brasileiro e apresentar os resultados obtidos por compromissos socioambientais voluntários assumidos por diferentes cadeias produtivas, empresas e associações. É o caso dos acordos multilaterais firmados entre o setor produtivo, a sociedade civil e órgãos públicos, como a Moratória da Soja no bioma Amazônia. A verificação dos compromissos assumidos nesses marcos regulatórios é feita com base em imagens de satélite e dados auxiliares para traçar o uso histórico do território e definir, com grande assertividade, os momentos de mudança de uso e cobertura da terra.

Manejo Agrícola

Identifica a aplicação de diferentes técnicas de manejo agrícola, como irrigação, colheita mecanizada da cana, reforma do canavial com rotação de culturas, preparo do solo, recuperação de pastagens, adoção de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), cultivo da segunda safra e plantio direto, entre outros. Isso é feito pela observação nas imagens de satélite das intervenções na superfície terrestre. Os mapas de manejo agrícola da linha MapS subsidiam a negociação de acordos ambientais, a gestão de recursos hídricos, a definição de estratégias comerciais para venda de maquinários, fertilizantes, commodities e a oferta de crédito agrícola, além de políticas públicas com impacto no uso do território.

Free WordPress Themes, Free Android Games